Programa Vocacional

O QUE É?

O Programa Vocacional é um projeto de cidadania cultural da cidade de São Paulo. Respaldado por uma equipe de artistas profissionais, com sólida formação pedagógica, oportuniza, gratuitamente, no decorrer de cada ano, o desenvolvimento artístico de jovens e adultos.

O Vocacional acontece em todas as regiões da capital paulista, promovendo a iniciação e o aperfeiçoamento artístico nas linguagens de teatro, dança, música, artes visuais e literatura para jovens e adultos com idade a partir de 14 anos. Para isso, ele é disponibilizado nos equipamentos da Cultura e da Educação vinculados à prefeitura de São Paulo, tais como os CEUs (Centro Educacionais Unificados), teatros distritais, casas de culturas e bibliotecas municipais e centros culturais.

As ações culturais e mostras artísticas do Vocacional, além de fortalecer a cultura local, fomentam as ações artísticas e a fruição de bens culturais nas regiões onde o Programa atua. A sua capilaridade na cidade de São Paulo denota a força do Programa Vocacional. O Vocacional acolhe a cidade e as pessoas que nela vivem, em um contínuo (e fraterno) processo criativo que contribui com a memória cultural e proporciona a reflexão de forma artística sobre a realidade do mundo em que vive.

Princípios artísticos

a REgência dos processos de criação. 

O Programa Vocacional propõe a instauração de processos de criação por meio de práticas artístico-pedagógicas, baseadas na pesquisa, formulações de perguntas, que surgem no diálogo entre o artista-orientador e o vocacionado. A investigação dos processos é um objetivo central, buscando novas formas de convivência, territórios de aprendizagem e de transformação cultural. O Programa Vocacional desenvolve uma prática artística, dialógica e relacional, apoiada em 6 princípios.

artistas como mestres ignorantes

O artista é um pesquisador constante na relação com o vocacionado, numa construção mútua de conhecimento.

nomadismo

Numa contínua investigação artístico-pedagógica de trânsito e diálogos, procura-se desarranjar o estabelecido e produzir multiplicidades que perpassam as estruturas já fixadas de conceitos, fazeres artísticos e de cidade.

Forma e conteúdo

Investigar a própria construção artística.

Tensionar o que se é e o que se observa do que é proposto artisticamente.

memória do processo

Construir narrativas de processos por meio de registros que o tornem coletivamente consciente, a partir de vários pontos de vista sobre o mesmo processo.

apreciação

Apreciação se faz por criadores e espectadores do processo artístico, tornando o material construído externamente, um material de produção de si. Encontra-se na apreciação, um ato criativo, de expansão da imaginação.

ação cultural

Ações capazes de interromper, desviar o fluxo cotidiano dos hábitos e influências da indústria cultural, permitindo a expressão de outras vozes.

.

Ações Culturais

artista-orientador como agente culturaL.

O Programa é um dos responsáveis pela promoção de ações culturais na cidade de São Paulo através da criação de redes de atuação, do trânsito de artistas entre os diferentes territórios da cidade e da instauração de processos artístico-pedagógicos em todas as linguagens artísticas.

 

Ações Artísticas e Autoformação

 

ateliês (laboratórios de criação)

 um espaço de autoformação.

 

Ao longo dos anos o Programa apresentou diversos formatos de equipes e funções dos artistas, se adaptando a cada tempo com as necessidades que foram surgindo ao longo das diferentes edições. Mas mesmo com tantas mudanças existe o que é imutável: a relação. O Programa parte de uma prática dialógica, propositiva com o vocacionado e entre a equipe de artistas. 

Com os vocacionados, o espaço de interação artística acontece nas orientações, que são oferecidas nos equipamentos públicos, e ações culturais em espaços públicos ou parceiros (teatros, museus, praças). Nas equipes de artistas orientadores e articuladores, o lugar de encontro são os ateliês (laboratórios de criação), onde os artistas orientadores, mediados pela equipe de articulação, desenvolvem seus processos formativos, num compartilhamento de experiências e procedimentos, criando recursos e instrumentais de autoformação a partir das práticas do programa.

Linguagens

O Programa Vocacional oferece 5 linguagens artísticas numa perspectiva de diálogo entre-linguagens, entendendo que não há um isolamento entre elas no fazer artístico. Em todas as linguagens, não existe um modelo pré estabelecido. O artista coloca? seu saber em relação ao vocacionado, respeitando suas experiências e poéticas de vida.

Artes Visuais

A linguagem Artes Visuais busca provocar a pesquisa artística, através dos mais variados suportes e materiais, ampliando a capacidade imagética e imaginativa, em procedimentos de criação e reflexão.

Música

A linguagem Música é aberta a todas as manifestações diversas existentes na cidade. Propõe a investigação, a criação e reflexão artística, através da ampliação da compreensão dessa linguagem.

Dança

A linguagem Dança propõe a prática da troca e do diálogo de experiências entre diferentes procedimentos de criação, ampliando a expressão e reflexão no campo artístico.

Teatro

A linguagem Teatro, a partir da tríade das artes cênicas – elementos de cena, tessitura e recepção da obra – estimula a consciência ética e estética no ato criativo, e a reflexão no fazer teatral.

Literatura

A linguagem Literatura propõe a criação, reflexão e construção da escrita criativa, através de procedimentos, trocas e diálogos.

Equipe

As funções artísticas

“Costurei com desejos uma capa de salvar mundos, na primeira queda ela arrebentou. Hoje dou meu nome ao lugar que sustenta esses fios batizados com desengano”

Maria Karina – Vocacionada 2016

“por que nunca ouvimos esse tipo de música? Ela é bonita…”

“Não sabia que essa menina tinha esse vozeirão e nem que era compositora”

Vocacionados de Giselle Ramos.

Projeto Musica Vocacional 2007-2008

“Em tempo de secura deixe para a chuva a cura”

Lívia Pereira – Vocacionada 2015

Projeto Literatura Vocacional

“(…)Ali, eu acabava de me paropriar daquela técnica, certa ou errada eu tinha feito. do meu jeito. eu explorei o material e descobri suas possibilidades e isso foi delicioso. (…) agora percebo como a técnica anda junto com o processo criativo.temos que nos atentar sempre a essa linha tênue que separa os dois e não deixar um engolir o outro. E deixar a ideia de tecnica como elemento primordial de tudo que fazemos. Nos deixar permitir é importante.”

Jade Lopes – Vocacionada 2016

projeto Artes Visuais Vocacional

Venha participar do

Programa Vocacional

ATUAÇÃO, CRIAÇÃO, ARTE!

SE MISTURE, BRINQUE, JOGUE, CRIE!

CONTATO

Coordenação

coordenacaoartisticopedagogica@gmail.com

programavocacional@gmail.com

Comunicação

comvocacional@gmail.com

Telefone (11) 3397-0165

Localização

Supervisão de Formação Cultural – Secretaria Municipal de Cultura

Rua Líbero Badaró 340, Centro Histórico de São Paulo, São Paulo – SP

CEP 01010-010 

Horário de atendimento  09h00 -18h00

 

VOCACIONAL nas redes

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support